Neurorradiologia Intervencionista

NEURORRADIOLOGIA INTERVENCIONISTA

A Neurorradiologia Intervencionista é especialidade médica que realiza procedimentos minimamente invasivos, utilizando técnicas guiadas por fluoroscopia, em sala angiográfica, dedicada para diagnosticar e tratar determinadas doenças situadas no cérebro, na cabeça, no pescoço e medula.

O neurorradiologista intervencionista atua no tratamento de algumas doenças que acometem o sistema nervoso central (cérebro e medula) e o território da cabeça e pescoço (carótidas, vertebrais e tumores de cabeça e pescoço).

- Aneurismas cerebrais: com as técnicas e tecnologias desenvolvidas até o momento, praticamente todos os aneurismas cerebrais com indicação de tratamento podem ser abordados por via endovascular.

 

- Malformações e fístulas arteriovenosas cerebrais: o neurorradiologista intervencionista faz parte do organograma do tratamento dos pacientes portadores de malformações e fístulas arteriovenosas cerebrais, por meio de procedimento denominado embolização.

 

- Malformações e fístulas arteriovenosas medulares: pacientes portadores de malformações e fístulas arteriovenosas podem ser candidatos a embolização percutânea com utilização de diferentes técnicas.

 

- Acidente vascular cerebral (AVC): pacientes que sofreram acidente vascular cerebral (AVC), também chamado de “derrame cerebral” ou “isquemia cerebral”, podem ser tratados pelo neurorradiologista intervencionista, que faz parte da equipe multidisciplinar de atendimento desse paciente, por meio de procedimentos denominados trombólise intra-arterial ou trombectomia mecânica, nas quais diferentes técnicas podem ser utilizadas para capturar e/ou dissolver o trombo e retirá-lo da circulação, permitindo que o sangue volte a circular novamente nas áreas previamente ocluídas, com o intuito de melhorar ou resolver os sintomas neurológicos apresentados pelo paciente.

 

- Estenose dos vasos pré-cerebrais (carótidas e vertebrais): estenoses vasculares localizadas nas artérias pré-cerebrais, como carótidas comuns, carótidas internas, subclávias e vertebrais podem ser tratadas por via endoascular pela angioplastia, habitualmente com a colocação de stents.

 

- Oncologia: alguns tumores podem ser abordados por via endovascular ou percutânea, por procedimentos denominados embolizações. Os tumores mais frequentemente tratados são os paragangliomas e nasoangiofibromas, com intuito pré-operatório para diminuir a morbidade cirúrgica, e os demais tipos de tumores de cabeça e pescoço que apresentem sangramento ativo.

Tel: (11) 5510-7780

Estrada de Itapecerica, 4659 - Capão Redondo
05858-000 - São Paulo/SP

Responsável Tecnico: Dra. Denise Maria Mayor- CRM 70.187

©2018 todos os direitos reservados